Voltar para Home

Leite para crianças ativas

Fazer exercícios é essencial para fortalecer ossos e músculos em crescimento – e o leite tem todos os nutrientes para isso

Divisória de Artigo

Incentivar as crianças a correr, pular ou praticar um esporte não é só uma maneira de gastar sua energia e de prevenir a obesidade. Fazer atividades físicas é fundamental para que elas desenvolvam a força muscular e estimula seu metabolismo ósseo, segundo com a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP).

É aí que o leite entra na jogada. Afinal, é a melhor fonte de cálcio, o mineral essencial para desenvolver ossos fortes, e tem proteínas importantes para criar massa muscular, aponta a pediatra Ana Escobar. “As crianças precisam de 500 mg de cálcio por dia. Dois copos de leite já provêm isso”, explica. Para a SBP, o ideal para garantir a formação adequada da massa óssea é consumir 600 ml de leite ou três porções de leite e derivados por dia.

Na fase pré-escolar (de 4 a 7 anos), as atividades indicadas pela SBP são correr, pular, nadar, subir, andar. Para não prejudicar o desenvolvimento de certos grupos musculares, a prática de esportes ou de ginástica deve ser incentivada a partir da idade escolar (de 7 a 10 anos). Dessa fase de crescimento intenso em diante, o leite passa ser ainda mais crucial. “Os adolescentes têm um estirão fantástico. Para isso acontecer, seus ossos precisam ter muito cálcio. Caso contrário, eles podem ter problemas para o resto da vida”, alerta a Dra. Ana.

Para não comprometer a ingestão da quantidade recomendada de cálcio por dia, é interessante incentivar as crianças a tomar leite –e não outras bebidas, como refrigerantes, sucos artificiais e bebidas à base de soja– nos lanches ou nas refeições, segundo a SBP. “Refrigerantes fosfatados [bebidas tipo cola] aumentam a excreção urinária de cálcio, elevando suas necessidades de ingestão e comprometendo a aquisição adequada da massa óssea”, alerta o Manual de Orientação do Departamento de Nutrologia da SBP.

Na hora de escolher o tipo de leite a oferecer, é preciso levar em conta o peso da criança. “As que têm o peso adequado para sua altura podem consumir o integral tranquilamente”, afirma a nutricionista Bárbara Peters, pesquisadora da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo. “Já as que estão acima do peso devem consumir leite ou derivados semidesnatados ou desnatados, ou então na forma integral, mas sem adicionar achocolatados, cereais açucarados, açúcar e mel.”

Fonte: “Atividade Física na Infância” (Sociedade Brasileira de Pediatria)

Next Post

Previous Post

Deixe um comentário